02 março 2010

Haja saúde, que jovialidade não nos falta! (Gusto)

1. Mensagem do nosso co-editor  Augusto Pinto Soares, com data de hoje:

Obrigado,  Luís.


O privilegiado sou eu em te ter como amigo e cunhado.

Quem,  se não tu,  se dava ao trabalho de ir ao baú, velho e empoeirado, levantar o pó aos registos de uma vivência alegre, feliz mas nostálgica e já quase carunchosa ?

Bons tempos, esses,  que nos fazes recordar e reviver.

E tantos outros há escondidos nas profundezas do esquecimento e que fazem parte duma vida que entrou no ciclo descendente.

Era bom percorrer montes e vales, aldeias e vilas, terras quase incógnitas cá dentro ou lá fora, com a canalha aos ombros tentando mostrar-lhes outros conhecimentos, outras culturas, outras formas de estar. Foi bom porque agora já crescidos, começando a rodar o filme das suas vidas, aí estão, em busca dos objectivos que lhes ensinamos a prosseguir, com persistência, com espírito aberto, viajando para os sítios mais díspares tentando absorver outras vivências, outras formas de estar.

Quanto a nós, quais catatuas em busca de companhia, cá vamos mantendo de vez em quando o espírito viageiro (como nos vais mostrando neste blogue) sem o bulício, a traquinice, a irrequietude que os nossos filhotes (já homens e mulher) nos enfadavam, por vezes, mas sempre nos faziam sentir felizes por os termos ali, ao lado.

Graças ao nosso, sobretudo ao teu, espírito de fotógrafo muitos desses momentos ficaram registados, para agora, nostalgicamente, lhes mostrarmos a primeira parte do filme das suas vidas; eles como aprendizes e nós como actores mais intervenientes.

Mais uma vez obrigado,  Luís,  por estas recordações e creio que muitos mais registos (com a tua máquina sempre pronta a disparar para fixar o mais pequeno pormenor dum momento efémero na altura mas que fará parte das nossas vidas) serão feitos para mais tarde os nossos filhos puderem ver a última parte do filme dos seus progenitores. Haja saúde,  que jovialidade não nos falta.

Um grande abraço deste teu sincero amigo (e cunhado).

Gusto



Um abraço

Gusto

Sem comentários: