25 dezembro 2018

Boas e felizes festas de Natal e Ano Novo, 2018/19




Porto > Parque da Cidade > 23 de dezembro de 2018 > Duas fotos, tiradas com a minha nova máquina reflex, Nikon D5300... Parabéns ao Porto por este magnífico equipamento urbano, projeto do arquiteto paisagista Sidónio Pardal!... Faço votos para que, em 2019, se enchem os 80 hectares do parque com tertúlias de caminheiros...

Foto (e legenda): © Luís Graça (2018). Todos os direitos reservados



"So(r)neto" natalício das tabancas de Candoz & Madalena:


Natal todo o ano ?... Não, muito obrigado! 

por Luís Graça


Com duas sílabas e cinco letras, 
Se escreve a nossa palavra Natal. 
Como nos ensinaram as nossas mestras, 
É das mais belas que há em Portugal. 

Mas, sendo a vida filha de putice, 
Por favor, não façam Natal todo o ano, 
Que grande freima, que grande chatice, 
Seria um logro, um cruel engano. 

É bom p’rás baterias carregar, 
O Natal no solstício do inverno, 
Pode-se comer, beber, orar… e amar. 

Três dias é d’mais como o Carnaval, 
Mas Natal todo o ano seria inferno, 
E só nos poderia fazer mal!... 

Candoz, Paredes de Viadores, Marco de Canaveses, 
e Madalena, Vila Nova de Gaia, 22 e 23 de dezembro de 2018 
Luís Graça 

Post scriptum ou adenda (muito importante) - 
Recomendação dos filhos e netos aos pais e avós:

Tanto crime contra a mãe-natureza, 
Pelas nossas gerações cometido!... 
P'ró ano, queremos ter a certeza 
De que o nosso futuro está garantido!

10 setembro 2018

Viva a Festa da Família Ferreira, 2018 - Parte II: Os nóssos músicos, cantadores e cantadeiras...



















Paredes de Viadores > Sítio da Nª Sra. do Socorro > 25 de agosto de 2018 > Festa da Família Ferreira, 2018 > Os nossos músicos, cantores e cantadeiras.


Fotos (e legendas): © Luís Graça (2018). Todos os direitos reservados

08 setembro 2018

Parabéns, Zé, pelo teu 70º aniversário!... E marcamos já encontro para o centenário, 3ª feira, dia 8 de setembro de... 2048|


Marco de Canaveses, Paredes de Viadores, Quinta de Candoz > 30 de maio de 2018 > O Zé na apanha da cereja... 


Marco de Canaveses, Paredes de Viadores,  N. Sra. Socorro, festa da famíla Ferreira > 25 de agosto de 2018 > Gente feliz... com lágrimas:  O Zé, tira óculos, põe óculos... sempre na reinação!


Marco de Canaveses, Paredes de Viadores,  N. Sra. Socorro, 5ª festa da famíla Ferreira >  25 de agosto de 2018 > Gente feliz... com lágrimas: da esquerda para a direita: o mano velho, o Tó, depois o Zé, e o primo Quim (Vieira Mendes)


Marco de Canaveses, Paredes de Viadores,  N. Sra. Socorro, 5ª festa da famíla Ferreira >  25 de agosto de 2018 > Sempre gaiteiro, o Zé, aqui a dansar com a sobrinha, Becas.



Marco de Canaveses, Paredes de Viadores,  N. Sra. Socorro, 5ª festa da famíla Ferreira >  25 de agosto de 2018 > Gente feliz... com lágrimas: O Zé com o nosso querido doutor...Jô.


Marco de Canaveses, Paredes de Viadores,  N. Sra. Socorro, 5ª festa da famíla Ferreira >  25 de agosto de 2018 > Gente feliz... com lágrimas: O Zé não está aqui porque,por volta das 17h, teve de regressar... Tinha outra festa, a de um afilhado da dona Olinda...

Fotos (e legendas):  Luís Graça (2018).



Soneto de parabéns ao Zé Carneiro
que entra hoje
para o clube dos septuagenários




No dia da festa do Castelinho,
nascia o último rebento de Candoz,
será para sempre o nosso maninho
e o melhor amigo de todos nós.

Setenta anos depois, aqui estamos,
pai, filho, neto… e demais convidados,
esta efeméride celebramos,
com todos os irmãos e os cunhados.

Que não  falte o “salpicão” à Teresa,
e, p'ra ti,  saúde e longa vida.
Não pagando dívidas a tristeza,

proponho um brinde ao septuagenário,
e, sendo esta uma festa divertida,
dizemos adeus,  até... ao centenário! (*)



Quinta de Candoz, 8 de setembro de 2018,

Luís, Chita e demais presentes:

Pedro e Diogo, Teresa e Dona Olinda, Mi e Manel, Nitas e Gusto, Tó e Graça, Adriano.


(*) O centenário é a uma terça-feira, dia 8/9/2048. Marcamos encontro, aqui, em Candoz.

25 agosto 2018

Viva a Festa da Família Ferreira, 2018 - Parte I: P'lo menos pelas redondezas / Não há festa como esta...


Paredes de Viadores > Sítio da Nª Sra. do Socorro > 25 de agosto de 2018 > Festa da Família Ferreira, 2018 > Foto de grupo, com gente da 5ª, 6ª e 7ª geração (i).





Paredes de Viadores > Sítio da Nª Sra. do Socorro > 25 de agosto de 2018 > Festa da Família Ferreira, 2018 > Foto de grupo, com gente da 5ª, 6ª e 7ª geração (ii).



Paredes de Viadores > Sítio da Nª Sra. do Socorro > 25 de agosto de 2018 > Festa da Família Ferreira, 2018 > Foto de grupo, com gente da 5ª, 6ª e 7ª geração (iii).




Paredes de Viadores > Sítio da Nª Sra. do Socorro > 25 de agosto de 2018 > Festa da Família Ferreira, 2018 > Representantes da 5ª geração, hoje na casa dos 70/80 anos: a Rosa Carneiro, filha de Maria Ferreira e de José Carneiro.




Paredes de Viadores > Sítio da Nª Sra. do Socorro > 25 de agosto de 2018 > Festa da Família Ferreira, 2018 > Representantes da 5ª geração, à direita, o António Carneiro, o mais velho da família Ferreira Carneiro, de Candoz. A zseu lado, o Joaquim Barbosa, casado com a Rosa.




Paredes de Viadores > Sítio da Nª Sra. do Socorro > 25 de agosto de 2018 > Festa da Família Ferreira, 2018 > Representantes da 5ª geração: o "caçula" da família Ferreira Carneiro (Candoz), o José Ferreira Carneiro, que faz 70 anos no próximo dia 8 de setembor, dia da festa do Castelinho... À direita, a Mi, casada com o Manuel Ferreira Carneiro.




Paredes de Viadores > Sítio da Nª Sra. do Socorro > 25 de agosto de 2018 > Festa da Família Ferreira, 2018 > Representantes da 5ª geração: da direita para a esquerda, Zé Ferreira, filho do António Ferreira (de alcunha, "Vitorino"), o Manel (viúva da Luisa, filha da tia Aninhas) e o António Pinto (viúva da Balbina, irmã do Zé). 



Paredes de Viadores > Sítio da Nª Sra. do Socorro > 25 de agosto de 2018 > Festa da Família Ferreira, 2018 > Representantes da 5ª geração,  ao centro o Quim Vieira Mendes, filho de Rosa Ferreira.



Paredes de Viadores > Sítio da Nª Sra. do Socorro > 25 de agosto de 2018 > Festa da Família Ferreira, 2018 > Representantes da 5ª geração, a Ana Ferreira Carneiro (Pinto Soares, pelo casamento)... 




Paredes de Viadores > Sítio da Nª Sra. do Socorro > 25 de agosto de 2018 > Festa da Família Ferreira, 2018 > Representantes da 5ª geração: a Maria Alice Ferreira Carneiro e o primo Quim.



Paredes de Viadores > Sítio da Nª Sra. do Socorro > 25 de agosto de 2018 > Festa da Família Ferreira, 2018 > Representantes da 5ª geração,  o Zé Ferreira com o Gusto Soares, marido da Nitas (Ana Ferreira Carneiro).


Fotos (e legendas): © Luís Graça (2018). Todos os direitos reservados


Viva a Festa da família Ferreira, 2018

Em homenagem aos nossos pais, avós e bisavós

António, Maria, Rosa e Ana,

filhos de Balbina Ferreira (1876-1938), casada com José Nunes Ferreira (, de alcunha ‘Vitorino’) (1875-1948);

bisnetos de João Ferreira, o primeiro (1821-1897), casado com Mariana Soares (1822-1895). (São estes as nossos antepassados comuns, conhecidos, mais antigos, donos das terras de Candoz e Leiroz; tiveram 6 filhos, 3 Ferreira e 3 Soares, entre eles o João Ferreira, segundo (1847-1918), casado com Maria Joaquina (1845-1895); quando completarmos a nossa árvore genealógica, iremos descobrir que a família Ferreira é velha como o carago…).

Estão aqui hoje representantes da 5º geração, a do António Carneiro, filho de Maria Ferreira e José Carneiro; tudo gente na casa dos 70/80 [levantar o braço]

Representantes da 6ª geração, a das filhas do António e da Graça; gente na casa dos 30/40/50 [levantar o braço]

Representantes da 7ª geração, a dos netos do António e da Graça… [levantar o braço]

E já temos gente da 8ª geração: por exemplo, a prima Lena, do Alto, já é bisavó…[levantar o braço].

Da 4ª geração, gente que hoje teria mais de 100 anos, não temos infelizmente já cá ninguém. Mas estão cá os seus descendentes:

(i) O mais velho era o António Nunes Ferreira, o ‘Vitorino’, o brasileiro, que nasceu em 1910 e casou com Amélia Rocha; [levantar o braço]

(ii) A mais nova era a Ana Ferreira, nascida em 1917, e que casou com Joaquim Cardoso; [levantar o braço]

(iii) As do meio eram a Maria Ferreira, que casou com José Carneiro [levantar o braço];

(iv) e a Rosa Ferreira, que casou com o José Vieira Mendes…[levantar o braço]

Filhos fora do casamento não consta que tenha havido… Mas se estiver aqui algum, que levante a mão…

Relembrando aqui os encontros anteriores:

(i) o primeiro, a 29 de setembro de 1984, em Fandinhães, Paços de Gaiolo, terra antiquíssima, freguesia do extinto concelho de Bem-Viver, onde nasceu toda a 4ª geração… 


(ii) o segundo, no ano seguinte, em Montedeiras;

(ii) os seguintes foram já aqui, em Paredes de Viadores, no parque de merendas da igreja de N. Sra. do Socorro: o terceiro em 10 de julho de 2011; o quarto em 7 de setembro 2013;

(iii) e agora o quinto em 25 de agosto de 2018. 34 anos depois do primeiro… Alguns de vós ainda não tinham nascido…

Parabéns a todo os que chegaram até hoje, vivos e de boa saúde, e que nos alegram com a sua presença, neste 5º encontro. Lembramos os já falecidos e naturalmente os ausentes.

O próximo encontro será quando a malta quiser [... E já ficou maracado para  sábado, 31 de agosto de 2019].  Nessa altura seria giro publicar o livrinho com a árvore genealógica da família Ferreira, em edição revista e aumentada…Mais as receitas das nossas "comidinhas", as letras e as músicas das nossas "tunas rurais", bem como os "canteréus"...

Para não vos maçar mais, vamos às quadras populares que escrevi para a ocasião... E se não se esqueçam, no fim, de dar o nome, o telemóvel e o endereço de email… Além de pagar o porco…

Estamos obrigados/as à Ana Maria, o João Monteiro, a Becas, a Zezinha, o João Carneiro, e toda uma vasta equipa que tornaram possível este encontro.



1
P’lo menos pelas redondezas,
Não há festa como esta,
Dizemos não às tristezas,
Com a gente que nos resta.

2
Com a gente que nos resta,
Da família Ferreira,
Não há tempo para a sesta,
Queremos é bailar na eira.

3
Queremos é bailar na eira,
Como no tempo dos avós,
Danados p’ra a brincadeira,
Nunca estávamos sós.

4
Nunca estávamos sós,
Nem os primos da cidade,
Que se juntavam a nós,
Formando grande irmandade.

5
Formando grande irmandade,
Gente boa, três maninhas,
Um rapaz, de maior idade,
C’o a mais nova, a ti Aninhas.

6
C’o a mais nova, a ti Aninhas,
Que era muito gaiteira,
Rosa, a santa das santinhas,
E a Maria, a lavradeira.

7
… O rapaz, o “Vitorino”,
Andou lá pelo Brasil,
Voltar foi seu destino,
Antes do 25 de Abril.

8
Antes do 25 de Abril,
Estava gente para nascer,
Outro deram o corpanzil
Para a Pátria defender.

9
Para a Pátria defender
Nas terras do Ultramar…
Ficou muito para ver
E muito mais pra contar.

10
E muito mais pra contar
Da família, a grande gesta,
Mas o tempo não vos quero roubar,
Vamos é curtir a festa!

11
Vamos é curtir a festa,
Comer, beber e pular,
Do porco já pouco resta,
O dia é para reinar.


12
O dia é para reinar,
Toca a rabeca chuleira,
Com o violão a acompanhar,
Viva a festa dos Ferreira.

13
Viva a festa dos Ferreira,
Em Paredes de Viadores,
Tudo gente bailadeira,
As senhoras e os senhores.

14
As senhoras e os senhores,
Ainda dão seu pé de dança,
Músicos e cantadores,
Temos alma de criança.

15
Temos alma de criança,
E a vida aqui celebramos,
No futuro temos esp’rança,
E pró ano cá voltamos!


Paredes de Viadores, sítio da N* Sr* do Socorro,  25 de agosto de 2018




29 maio 2018

Do Joãozinho para a madrinha Alice, na véspera de fazer a comunhão solene



02 abril 2018

Feliz Páscoa 2018


Já lá vem, em festa, p’la estrada fora,

O compasso pascal da freguesia,

Chega à nossa casa mesmo na hora,

E a todos saúda com alegria.





Mais do que a tradição, é a certeza

De que a Páscoa é também renascimento,

E há sempre mais um lugar à mesa,

Para nosso geral contentamento.




Se não for preenchido, é o dos ausentes,

E, em especial, dos nossos mortos queridos;

Aos que vieram e estão aqui presentes,





Saibam que nós ficamos muito honrados.

E, aos do compasso, diremos, reconhecidos:

Tenham um dia feliz, mesmo… estoirados!





Quinta de Candoz, 2 de abril de 2018,

Os donos da casa

01 março 2018

Para o Gusto, no 71º aniversário natalício

Gusto, em dia de anos,
ao km 71 da tua “picada” da vida,
não queria deixar de estar ao pé de ti,
quanto mais não seja, simbolicamente.

A prenda que te quero dar,
já a conheces,
é uma palavra amiga,
é um abraço feito poema…

Lembrei-te logo de ti,
ao reler há tempos
o grande poeta transmontano Miguel Torga.

Vou dizer-te esse poema, “Bucólica”,
escrito em 1937, na casa do poeta, em São Martinho de Anta, Sabrosa,
mas que podia ter sido escrito hoje, em Candoz,
na “nossa quinta de Candoz”,
de cujas videiras tu tratas
com a mesma ternura da mãe
que faz a trança à filha…

É um dos meus poemas de antologia:
é difícil dizer em tão poucas e singelas palavras
o que é a vida e o seu maravilhamento…
Peguei num verso, emprestado,  e fiz um mote
para o soneto que acabei de compor esta manhã
e  que te dedico, em dia de aniversário:
é um soneto à vida
e ao amor dos que te querem bem.
A Nitas vai dizê-lo por mim,
estou certo que vai dizê-lo tão bem ou melhor do que eu.
___________________________

 S. Martinho de Anta, 30 de abril de 1937

Bucólica

A vida é feita de nadas:

De grandes serras paradas
À espera de movimento;

De searas onduladas
Pelo vento;

De casas de moradia
Caiadas e com sinais
De ninhos que outrora havia
Nos beirais;

De poeira;

De sombra de uma figueira;

De ver esta maravilha:
Meu Pai a erguer uma videira
Como uma mãe que faz a trança à filha.

Miguel Torga
In: TORGA, M. – Antologia poética. Coimbra, ed. autor, 1981, p. 247.

____________


Soneto à vida

Sim, Gusto, a vida é feita de nadas,
mais…, de mil e um gestos repetidos,
de dias bons e noites mal passadas,
de sonhos quase sempre esquecidos.

Já diziam nossos antepassados
que a vida, curta, não chegava a netos,
nem mesmo a filhos com barba, coitados…
Duro era o pão e escassos os afetos.

Hoje, que vais no comboio dos entas,
sorris, para a vida, maravilhado:
mesmo na carruagem dos setentas,

e, com mazelas, viajas em primeira,
co´ as contas em dia, és avô babado!
Que nada te falte,  nem a vi…deira!…


Parabéns, um grande xicoração  do Luís, Alice, Joana e João,
a gente de Lisboa que te ama!
1  de março de 2018



14 fevereiro 2018

Soneto de um (e)terno (e)namorado




Alcácer do Sal, 28 de janeiro de 2018, ao pôr do sol. Fotos de Luís Graça (2018)


Soneto de um (e)terno (e)namorado

para a Chita


Quisera eu jurar-te amor eterno,
se imperfeito não fosse o meu ser,
nesta terra, muitas vezes inferno,
onde temos de viver e morrer.

Esquece, amor, não há o céu dos amantes,
um lugar perfeito e aborrecido,
lá não passaríamos de figurantes,
sem o cantinho que nos é querido.

Aceita, pois, este pobre soneto,
de um homem que por ti se fez poeta,
e que não te deu o céu, mas um gueto,


onde às vezes te sentes prisioneira.
Porém, não teve por ti uma paixoneta,
antes, sim, uma paixão verdadeira.

Alfragide, Dia dos Namorados,
14 de fevereiro de 2018

Teu (e)terno (e)namorado, Luís

15 janeiro 2018

Adivinha para o dia de hoje



Adivinha do dia de hoje, 15 de janeiro de 2018

Quem é quem, que hoje vai ser lembrada,
E que aparece sempre em primeiro,
C’ um largo sorriso d’ avó babada,
Nas fotos do nosso cancio…neiro ?

Vamos lá ver se tu, leitor, adivinhas:
Quem será essa senhora prendada ?
Primeiro, nunca dorme com as galinhas,
É mãe extremosa e mulher bem ca…sada.

Goza a sua reforma merecida,
Canta no coro e toca cavaquinho,
E hoje faz mais um ano de… vida!

Pois, com estas qualidades descritas,
E em redor muitas flores e carinho,
Tá-se a ver: é a nossa querida… Nitas!


... Com um xicoração das famílias

Ferreira Carneiro,
Pinto Soares
e Graça Henriques...