01 março 2018

Para o Gusto, no 71º aniversário natalício

Gusto, em dia de anos,
ao km 71 da tua “picada” da vida,
não queria deixar de estar ao pé de ti,
quanto mais não seja, simbolicamente.

A prenda que te quero dar,
já a conheces,
é uma palavra amiga,
é um abraço feito poema…

Lembrei-te logo de ti,
ao reler há tempos
o grande poeta transmontano Miguel Torga.

Vou dizer-te esse poema, “Bucólica”,
escrito em 1937, na casa do poeta, em São Martinho de Anta, Sabrosa,
mas que podia ter sido escrito hoje, em Candoz,
na “nossa quinta de Candoz”,
de cujas videiras tu tratas
com a mesma ternura da mãe
que faz a trança à filha…

É um dos meus poemas de antologia:
é difícil dizer em tão poucas e singelas palavras
o que é a vida e o seu maravilhamento…
Peguei num verso, emprestado,  e fiz um mote
para o soneto que acabei de compor esta manhã
e  que te dedico, em dia de aniversário:
é um soneto à vida
e ao amor dos que te querem bem.
A Nitas vai dizê-lo por mim,
estou certo que vai dizê-lo tão bem ou melhor do que eu.
___________________________

 S. Martinho de Anta, 30 de abril de 1937

Bucólica

A vida é feita de nadas:

De grandes serras paradas
À espera de movimento;

De searas onduladas
Pelo vento;

De casas de moradia
Caiadas e com sinais
De ninhos que outrora havia
Nos beirais;

De poeira;

De sombra de uma figueira;

De ver esta maravilha:
Meu Pai a erguer uma videira
Como uma mãe que faz a trança à filha.

Miguel Torga
In: TORGA, M. – Antologia poética. Coimbra, ed. autor, 1981, p. 247.

____________


Soneto à vida

Sim, Gusto, a vida é feita de nadas,
mais…, de mil e um gestos repetidos,
de dias bons e noites mal passadas,
de sonhos quase sempre esquecidos.

Já diziam nossos antepassados
que a vida, curta, não chegava a netos,
nem mesmo a filhos com barba, coitados…
Duro era o pão e escassos os afetos.

Hoje, que vais no comboio dos entas,
sorris, para a vida, maravilhado:
mesmo na carruagem dos setentas,

e, com mazelas, viajas em primeira,
co´ as contas em dia, és avô babado!
Que nada te falte,  nem a vi…deira!…


Parabéns, um grande xicoração  do Luís, Alice, Joana e João,
a gente de Lisboa que te ama!
1  de março de 2018



Sem comentários: